Acontece na Paróquia  

  • Por Katia Pazini - PASCOM Santa Teresinha

Série Mês das Vocações | A importância das Vocações Sacerdotais


Agosto, mês das vocações

Vocação é um termo derivado do verbo “vocare”, oriundo do latim e que significa “chamar”. É uma inclinação, uma tendência ou habilidade que leva o indivíduo a exercer uma determinada carreira ou profissão. Vocação é uma competência que estimula as pessoas para a prática de atividades que estão associadas aos seus desejos de seguir determinado caminho. Por extensão, vocação é um talento, uma aptidão natural, uma capacidade específica para executar algo que vai lhe dar prazer.

Todo ano em agosto celebramos em nossas Igrejas o Mês Vocacional. Mas você já parou para se perguntar por que temos essas comemorações no Brasil?

Em 1981, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em sua 19.ª Assembleia Geral, instituiu agosto como o Mês Vocacional. O objetivo principal era o de conscientizar as comunidades da responsabilidade que compartilham no processo vocacional. É por isso que cada domingo do mês de agosto é dedicado à celebração de uma determinada vocação. No primeiro, celebra-se sacerdócio e os ministérios ordenados; no segundo, o matrimônio junto à semana da Família; no terceiro, a vida consagrada, e por fim, no quarto, a vocação dos Leigos. Portanto, o intuito é a necessidade de apresentar a todos, sobretudo aos jovens e adolescentes, os distintos caminhos do serviço do Senhor e do seu Reino.

A vocação sacerdotal

Sobre a vocação sacerdotal – ou ministério ordenado –, a primeira reflexão deve ser sobre o caráter estritamente sobrenatural do chamado de Deus: foi Ele quem tomou a iniciativa sobre o novo rumo que as vidas dos vocacionados tomarão. Porque não são os vocacionados que escolheram a Cristo, mas sim foi Cristo quem, de uma maneira especial, escolheu-os para que possam ir por todo o mundo e levem frutos de santificação e de autêntica vivência cristã. Assim, a vocação sacerdotal e consagrada se apresenta como uma eleição providente de Deus, profundamente gratuita, imprevista e desproporcionada às possibilidades humanas.

Cristo tem necessidade de cada um dos sacerdotes – diáconos, padres, bispos –, como teve de Pedro, de São Tiago e de São João. Os sacerdotes são as mãos, os pés, os olhos, a mente e o coração de Jesus Cristo; são os canais e os meios pelos quais Ele vai comunicar-se à humanidade.

Deus respeita em sua integridade o homem e sua liberdade quando chama uma alma a seu serviço. Há muitos jovens que Deus, nosso Senhor, preparou amorosamente desde toda a eternidade para que sejam sacerdotes; há muitas pessoas que Deus chamou para serem sacerdotes, mas nem todas correspondem ao chamado de Deus porque ele não implica o esmagamento da escolha da pessoa humana; Deus sempre deixa a liberdade de seguí-lo ou não. Cada jovem chamado ao sacerdócio é livre, absolutamente livre; cada um deles pode responder a Deus: sim ou não.

E Deus chama cada um ao sacerdócio para que haja uma resposta estritamente pessoal. Nunca podemos nos pautar nos desejos dos outros para justificar as próprias atitudes.

A missão de cada sacerdote é clara e precisa: a santidade urgente! Temos por vocação que nos esforçar para adquirir a consciência de que hoje e amanhã ensinaremos nossos irmãos como serem santos. A vocação vem de Deus, mas como descobrir quem é chamado se não anunciamos, se não tocamos no assunto?

Um jovem que talvez se sinta chamado, mas não ouve ninguém falar como se faz para dar os primeiros passos, jamais chegará ao seminário ou ao convento. É preciso anunciar, dar testemunho com palavras e gestos, apontar os caminhos, anunciar os encontros com antecedência. Certamente, será preciso até mesmo facilitar os meios de locomoção, do contrário não se pode acreditar que as vocações possam desabrochar. Dizer que não existe mais ninguém que quer ser padre, religioso ou religiosa não é verdade.

Portanto, é necessário incentivar, com gosto, padres, religiosos e religiosas, bispo a reinventar os meios que facilitem o desabrochar das vocações na nossa diocese. Vamos, todos nós que já somos engajados, que já estamos respondendo ao chamado, falar da beleza do servir a Deus e à Igreja, falar da nossa alegria e do zelo que nós temos no desempenho do nosso trabalho.

Deste modo, muitas vocações de todos os tipos vão aparecer. Sem dúvida, tudo isso tem que ser envolvido com muita oração. Devemos continuar a rezar individualmente e de modo comunitário, nos grupos e nas igrejas pelas vocações ao ministério ordenado, afinal a messe é grande e os operários são poucos.

Em nossa Paróquia

Nosso Pároco, Padre Tiago Silva, é Sacerdote Católico, Diretor de Comunicação e Porta-Voz da Diocese de Santo André. Seu Projeto de Vida é: “Por Cristo, Com Cristo e Em Cristo”.

Descreve-se como um discípulo apaixonado por Jesus Cristo! Discípulo que, na dinâmica da história humana, Por Cristo, busca apresentar os valores do Santo Evangelho. Evangelho que nos proporciona a grande e real possibilidade de nos libertar dos cárceres obscuros de nossas mazelas humanas, de nossas prisões sem grades, elevando-nos de meros espectadores, inertes diante das realidades conflitivas ao Projeto de Deus, a verdadeiros protagonistas de uma Nova História, de uma Nova Evangelização. Com Cristo, sermos capazes de apresentar ao homem do mundo moderno os valores do coração de Deus, oferecidos a nós ao longo da Revelação, na história da humanidade. Valores estes, que se atualizam no coração dos homens, na medida em que, abandonando-se Em Cristo, somos capazes de comunicá-los com o mesmo amor, ardor e coragem, construindo assim, a tão sonhada Civilização do Amor.

Fontes:

- Milícia da Imaculada

- A12

- Facebook Padre Tiago Silva

- CNBB

- Formação Canção Nova

71 visualizações
Notícias em Destaque
Arquivo

Paróquia Santa Teresinha

Praça Rui Barbosa, s/n - Santa Terezinha, Santo André/SP

Informações: Tel. (11) 4996-3506 | WhatsApp. (11) 99971-5580 | teresinha.sa@diocesesa.org.br | Redes sociais: @santateresinhasa