Acontece na Paróquia  

  • Kátia Pazini - Pascom Santa Teresinha

Vocação | Por que Deus me chamou?


A palavra "vocação" significa "ser chamado". Deus nos criou e nos chama, a cada um de nós, a ser santos, a ser Seus filhos adotivos, a servir e amar aos demais e, na última instância, a estar com Ele no céu por toda a eternidade. Embora este seja um chamado universal dirigido a cada pessoa, Deus também criou todas as pessoas, dotando-as de uma grande quantidade de dons e talentos que têm um enorme potencial para serem exercidos dentro de um estilo de vida particular.


As diversas formas de vocação que Deus nos oferece são a vida religiosa, a ordenação presbiteral, a vida matrimonial e a vida de solteiro.


É como um diálogo entre Deus e o vocacionado - a iniciativa é de Deus, a resposta é do ser humano que, em clima de oração, deve acolher o próprio ser como um dom e presente que Deus dá agora: corpo, espírito, saúde, energias, desejos, necessidade de amar e ser amado, impulso para o infinito, capacidade de relações.


A vocação tem uma dimensão pessoal e uma dimensão comunitária - pessoal porque ninguém pode responder em meu lugar; comunitária porque ela precisa da comunidade para desabrochar.


O discernimento é um processo de busca ativa para conhecer a vontade de Deus em nossa vida. Se queremos saber algo de alguém, o que fazemos? Em primeiro lugar, perguntamos à pessoa para, logo depois, escutarmos sua resposta. Assim também se passa com Deus.

A esta comunicação entre Deus e nós chamamos oração. Frequentemente, a parte mais difícil é a de escutar, pois, em geral, não se escuta uma voz que nos fala. Por isso, devemos estar abertos e prontos para que Ele nos fale de outras maneiras. Poderia ser por meio de outras pessoas, de eventos ou ainda de uma sincera reflexão. Deus nos fala frequentemente, mas nem sempre O escutamos.


É interessante que possa parecer tensa essa relação com Deus, e é aí que está o segredo.


Quando o Senhor chama e, livremente, vamos respondendo a esse chamado e nos tornando amigos d'Ele, vamos sendo tomados por uma paz e uma alegria que autentica esse chamado e chancela a nossa decisão. O medo não cabe nessa relação de amizade com o Senhor e, pouco a pouco, vai ficando menor e mais distante.


Portanto, paz e alegria serão os nossos companheiros no discernimento vocacional e em nossa vocação, pois também serão eles que, nas horas difíceis e nubladas, nos indicarão o caminho certo.


Leia mais em:

Canção Nova

Faculdade SRA

Franciscanos.org

52 visualizações
Notícias em Destaque
Arquivo