Vicentinos

O Patrono

São Vicente de Paulo

27 Setembro

  Vicente de Paulo foi realmente uma figura extraordinária para a humanidade. Era de uma família pobre, de cristãos dignos e fervorosos. Nasceu em Pouy, França, no dia 24 de abril de 1581.

  Na infância foi guardador de porcos, o que não o impediu de ter uma brilhante ascensão na alta Corte da sociedade de sua época. Aos 19 anos foi ordenado padre e, antes de ser capelão da Rainha Margarida de Valois, ficou preso durante dois anos nas mãos dos muçulmanos. O mais curioso é que acabou sendo libertado pelo seu próprio "dono", que, ao longo desse período, Vicente conseguiu converter ao cristianismo.

  Todos o admiravam e respeitavam: do Cardeal Richelieu à Rainha Ana da Áustria, além do próprio Rei Luís XIII, que fez questão absoluta de que Vicente de Paulo estivesse presente no seu leito de morte.

  Mas os que mais eram merecedores da piedade e atenção de Vicente de Paulo eram mesmo os pobres, os menos favorecidos, que sofriam as agruras da miséria.

 

  Quando Mazarino, em represália às barricadas erguidas pela França, quis fazer o país entregar-se pela fome, Vicente de Paulo organizou uma mesa popular para servir diariamente refeições a duas mil pessoas famintas.

 
  Apesar de ter sempre pouco tempo para os livros, tinha-o muito quando era para tratar e dar alívio espiritual. Quando convenceu o regente francês de que o povo sofria por falta de solidariedade e de pessoas caridosas para estenderem-lhe as mãos, o rei imediatamente nomeou-o para ser o Ministro da Caridade. Com isso, organizou um trabalho de assistência aos pobres em escala nacional. Fundou e organizou quatro instituições voltadas para a caridade: a "Confraria das Damas da Caridade", os "Servos dos Pobres", a "Congregação dos Padres da Missão" (conhecidos como padres lazaristas), em 1625, e, principalmente, as "Filhas da Caridade", em 1633.
 

  Este homem prático, firme, dotado de senso de humor, esperto como um camponês e, sobretudo, realista, dizia aos sacerdotes de São Lazaro: "Amemos Deus, irmãos meus, mas o amemos às nossas custas, com a fadiga dos nossos braços, com o suor do nosso rosto".

  Morreu em Paris, no dia 27 de setembro de 1660.


        Canonizado em 1737, São Vicente de Paulo é festejado no dia de sua morte por seus filhos e filhas, espalhados nos quatro cantos do mundo, e por toda a sociedade leiga cristã, engajada em cuidar para que seu carisma permaneça, pela ação de suas fundações, e que florescem ainda nos nossos dias, sempre a serviço dos mais necessitados, doentes e marginalizados.

 

São VICENTE DE PAULO, rogai por nós!

O Fundador

Frederico Ozanan

“Gostaria de abraçar o mundo inteiro numa rede de caridade”

  Nascido na Itália, em 23 de abril de 1813, Antonio Frederico Ozanam viveu na França. Muito de sua vida de caridade e serviço aos pobres se deve ao pai, João Antonio, um exemplo de caridade cristã.

 

  Frederico estudou na Sorbone, uma importante universidade francesa. Neste período envolveu-se com intelectuais cristãos, fazendo do cristianismo um ideal de vida. Entendia que era necessário fundamentar a fé no exercício de uma obra de caridade. Voltou-se para os pobres e norteou a sua vida no sentido de servi-los, a exemplo de seu pai e dos ensinamentos de Jesus Cristo.

08 de Setembro

  Junto de outros jovens cristãos com o mesmo objetivo, fundou a Sociedade São Vicente de Paulo, em 1833, uma instituição católica de leigos, direcionada para dar abrigo e assistência aos pobres e aos excluídos. Junto com o acompanhamento caritativo, Frederico pedia que fossem administrados o conforto e a formação religiosa. Por essa visão humanitária e democrática da fé cristã ele é considerado precursor da doutrina social da Igreja.

 

  Frederico Ozanam se casou em 1841 com a jovem Amélie Soulacroix e teve uma filha. Difundiu sua obra por toda a Europa até o dia em que, tomado pela doença, passou a residir numa das casas vicentinas, levando uma vida simples e humilde.

 

  Morreu em 08 de setembro de 1853, em Marselha, França.

 


  Oração: Deus fiel, Te agradecemos por ter inspirado o Beato Frederico Ozanam e seus companheiros na criação da Sociedade São Vicente de Paulo. Deus de amor, Te pedimos que nos ajudes a preservar e perpetuar, em sua autenticidade original, o espírito e a visão do Beato Frederico para nos guiar na busca de seu sonho: "Abraçar o mundo em uma rede de Caridade". Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.

BEATO FREDERICO OZANAM, rogai por nós!

Ser Vicentino

  A vocação vicentina não se limita apenas ao serviço aos materialmente pobres, mas também aos irmãos com pobreza espiritual, moral e religiosa. Abrange, ainda, o cultivo da fraternidade, da justiça e do espírito de pobreza como viveram o patrono da Sociedade Vicentina, São Vicente de Paulo, e seu principal fundador, Beato Frederico Ozanam.

  • Ser vicentino é, antes de tudo, uma graça de Deus, que tanto nos ama. É a resposta positiva e corajosa ao chamado da consciência iluminada pelo Espírito de Amor.

 

  • Ser vicentino é traduzir em atos a vivência de nossa fé cristã. É a resposta ao desejo íntimo de participar diretamente do serviço ao pobre.

 

  • Ser vicentino significa dar um pontapé na solidão; esquecer a idade cronológica e os pequenos problemas, que a todos acompanham, para engajar-se num movimento leigo sério e responsável, vinculado à Igreja Católica, e ser útil aos semelhantes.

 

  • Ser vicentino é responder, tanto quanto permitem as fraquezas humanas, à vocação caritativa e apostólica, dando testemunho de nossa fé por meio do amor aos que sofrem e carregam uma pesada cruz.

 

  • Ser vicentino significa dar sentido à vida, mantendo sempre o espírito jovem. As rugas que marcam o rosto nem sempre indicam velhice; velho é aquele que deixa enrugar o coração, isso é, perde a razão de viver.

 

  • Ser vicentino é trilhar o caminho da santidade e, pela prática da caridade, aproximar-se cada vez mais de Deus.

 

  • Ser vicentino é dar-se a oportunidade de abrir os ouvidos ao clamor dos abandonados e soltar a língua para anunciar a Palavra que salva. É participar do ideal de Ozanam: "Reunir o mundo inteiro numa grande rede de caridade".

 

  • Ser vicentino é viver mais feliz, porque cresce na fé e transforma o mundo por meio das boas obras.

 

  • Ser vicentino também é estar disposto a ouvir a voz de Deus nas pessoas.

 

  • Ser vicentino significa colocar os talentos a serviço do bem.

 

  • Ser vicentino significa reconhecer que os pobres têm sentimentos e dignidade, merecendo ser valorizados e respeitados.

 

  • Ser vicentino significa estar em disponibilidade para o contato pessoal com os que de nós necessitam. Esse contato não exige dinheiro, mas uma fração do nosso tempo, que quase não teríamos, para ajuda moral e espiritual. "Aqui está o essencial de nossa vocação vicentina".

 

  • Ser vicentino significa ser agente de transformação da sociedade numa dimensão espiritual; significa visitar Deus no pobre.

(Texto extraído do Livro: "Ozanam, Modelo de Apóstolo Leigo", de Roque Gelati http://www.ssvpcmg.org.br/blog/artigo.php?id_artigo=26).

A história da pastoral dos Vicentinos

Sociedade São Vicente de Paulo

Na Paróquia de Santa Teresinha

  Em nosso mundo, onde a publicidade toma conta de muros e telas, os Vicentinos são os artesãos da caridade discreta. Uma caridade que é, antes de tudo, uma partilha. Partilha do que se é e do que se tem, buscando um autêntico desenvolvimento de todo homem e de todos os homens. Partilha não somente do supérfluo, mas do necessário. Esta partilha é bem diferente de uma esmola. Ela é amor e serviço, troca e enriquecimento recíproco.

  A Obra Vicentina existe na Paróquia Santa Teresinha há 78 anos e é formada por duas conferências.

  Em 14 de maio de 1939, foi fundada a Conferência Santa Teresinha da Sociedade São Vicente de Paulo, por Joaquim Antônio da Silva, conforme os termos da "Ata da 2ª reunião, realizada no interior da Capela de Santa Teresinha, com a presença do Revmo. Capelão Padre Dario de Moura".

  Em 15 de agosto de 1959, foi fundada a Conferência Menino Jesus da Sociedade São Vicente de Paulo, por Antônio Martins da Silva.

 

  Conferência é o nome dado à sociedade; é um título, mas são todos Vicentinos. Os participantes das conferências são chamados de confrade (homem) e consocia (mulher), e aquele que estiver participando de uma conferência com a finalidade de conhecer a missão da Sociedade de São Vicente de Paulo é denominado aspirante.

 

  No período de 1943, os Vicentinos da Paróquia Santa Teresinha estavam sediados no antigo salão da igreja, que estava em situação precária. Porém, a partir daquele ano foi possível aos Vicentinos iniciar a formação de um fundo para compra de uma sede.

 

  Em 15 de abril de 1951 é lançada a pedra fundamental para construção do Salão Paroquial. Na mesma época, o padre Vitautas (Vito) Kavolis acrescentou um salão construído em semicírculo, na área posterior à antiga igreja, para reunião das diversas pastorais existentes, entre elas a Sociedade São Vicente de Paulo.

  Após a revolução de 1964, houve grande desemprego. O então dirigente da paróquia, Padre José Mahon, junto com outros padres, constituíram uma comissão, paralisaram as obras da igreja e, mediante a arrecadação de fundos, passaram a socorrer as famílias necessitadas, juntamente com a participação dos Vicentinos, até mesmo entregando os alimentos em domicilio.

  Em 14 de maio de 1989, a Sociedade São Vicente de Paulo comemorou seu cinquentenário de existência na Paróquia Santa Teresinha.

  No dia 26 de novembro de 1989, o padre Wagner Paulo Pereira Doriguetti, assumiu a Paróquia Santa Teresinha, apoiando ainda mais a ação vicentina, incentivando a participação dos paroquianos e comparecendo nas datas de entrega das cestas, com oração e bênçãos.

  Por volta do ano 2000, os Vicentinos, preocupados com a situação do salão onde estavam situados e por ordem do padre Jorge Wasilewski, mudaram-se para onde hoje é o Salão Paroquial, no andar superior à cozinha, e ali ficaram por cerca de três a quatro anos. Foi então quando, em 2006, compraram a casa onde está situada a atual sede, na Al. São Bernardo, 335.

  Após a compra do imóvel, que possuía um grande terreno no fundo, surgiu a ideia de construir um salão. A planta foi feita, mas, na época, a verba mal dava para fazer a base... Então, com a ajuda de muitas pessoas, empresas, bazares e com a venda de latinhas, ferro velho e papelão, foi possível concluir este salão que, hoje, é alugado para eventos e gera uma renda extra, dando suporte à Obra Vicentina.

Formação para tornar-se Vicentino

  Para ser Vicentino é necessário ter pelo menos um ano de frequência assídua nas reuniões. Tem que participar do ECAFO - Escola de Capacitação Antônio Frederico Ozanam, que tem como objetivo orientar a formação espiritual dos Vicentinos em todos os níveis e, posteriormente, participar de Conselhos Particulares, Centrais e Metropolitanos. Depois de toda a formação, o aspirante é apresentado na Santa Missa e recebe o certificado de participação.

  A Sociedade São Vicente de Paulo da Paróquia Santa Teresinha possui o Conselho Particular de Utinga (Presidente: Maria Edwiges da Silva), que atualmente possui 11 conferências; o Conselho Central de Santo André (Presidente: Maria Edwiges da Silva); o Conselho Central Metropolitano (Presidente: Marco Antônio Kananovicz); e o Conselho Geral, com sede na França e no Brasil (situado na cidade do Rio de Janeiro).

  Cada Sociedade pode ter várias Conferências e cada Conferência pode ter até 12 participantes.

Jovens Vincentinos

  Na data de 26 de maio de 2003, Ata nº 3247/217 da Conferência Santa Teresinha, dentro dos assuntos diversos, consta o surgimento de nova Conferência, denominada Conferência Nossa Senhora de Fátima, com a presença do presidente do Conselho Particular de Utinga, Eri Alves, composta pelos confrades Luciano F. Lima e Edivaldo F. Lima.

  A Conferência Nossa Senhora de Fatima foi acompanhada e orientada pela consocia Neusa Maria Macedo durante toda a sua existência, bem como a presença assídua dos seus integrantes.

  Muito colaboraram os jovens desta Conferência com as ações vicentinas, participando dos eventos com carinho, alegria e disponibilidade em fazer o bem ao próximo.

  Mesmo após a última reunião da Conferência Nossa Senhora de Fátima, documentada na Ata nº 147 de 31 de março de 2007, estes jovens mantêm ainda hoje amizade entre si, com especial carinho aos Vicentinos, e sempre que podem acompanham os eventos programados.

Formação das conferências

Conferência Santa Teresinha

Presidente: Neusa Maria Macedo

Vice-presidente: Moisés O. Fins

Tesoureiro: Neusa A. da Cruz Fins

Voluntários: cinco pessoas fixas e alguns esporádicos

Conferência Menino Jesus

Presidente: Eudenir P. Lopes

Vice-presidente: Teresa R. Neves

Tesoureiro: Teresinha Guaracho

Voluntários: quatro pessoas fixas e alguns esporádicos

Vicentinos em ação

  • ENTREGA DE CESTAS BÁSICAS - No momento em que uma família vem pedir ajuda, ela é cadastrada, recebe uma cesta básica e, posteriormente, membros da Conferência vão visita-la para verificar suas necessidades.

 

As Conferências trabalham de forma

 

Os benfeitores são convidados a visitar e conhecer as Obras Vicentinas.

 

As paróquias que possuem Conferência se ajudam entre si em suas necessidades. Quando havia conferência na Paróquia São Judas Tadeu, por várias vezes ela ajudou as Conferências da Paróquia Santa Teresinha, por exemplo.

 

A da Paróquia Santa Teresinha, com suas Conferências, já chegou a assistir mais de 100 famílias, mas durante visitas realizadas periodicamente observou-se que algumas delas não moravam no endereço apresentado e outras não tinham a real necessidade do recebimento da cesta básica.

 

Atualmente atende-se, aproximadamente, 62 famílias.

 

São feitas visitas no mínimo a cada três meses às famílias cadastradas.

 

A igreja sempre ajudou na arrecadação de mantimentos, mas com a chegada do Padre Tiago Silva as arrecadações aumentaram bastante. Assim, está sendo possível melhorar a quantidade de produtos das cestas básicas.

 

 

  • ASSISTÊNCIA SOCIAL - Orientações, ajuda com medicamentos, atendimento dentário e apuração de denúncias em geral.

 

  • FESTA DE NATAL - Nos últimos 12 anos foram distribuídas uma média de 350 sacolinhas, com roupas, sapatos, brinquedos e uma caixa de bombons, para crianças de até 10 anos de idade. E por três anos seguidos - de 2010 a 2013 - foi realizada uma festa para as famílias na entrega das sacolinhas de Natal.

 

  • HORA SANTA VICENTINA - Todo terceiro sábado do mês acontece a Hora Santa dos Vicentinos, às 7h30 da manhã, seguida da distribuição das Cestas Básicas às famílias cadastradas.

 

  • SANTO TERÇO - Toda última segunda-feira do mês é rezado o Santo Terço na Sede Vicentina, no qual as famílias cadastradas são convidadas a participar, bem como os amigos e benfeitores.

 

  • BAZAR VICENTINO - Toda segunda e quarta-feira, das 14h às 17h, é realizado um bazar para venda de roupas e objetos usados. 

 

  • BINGO - Duas vezes ao ano é realizado o Chá-Bingo dos Vicentinos.

 

*Os valores arrecadados são usados para complementação das Cesta Básica e pagamento das contas da sede.                                                                                                                                                  

Foto: sede atual e entrega das cestas básicas

Foto: a equipe em ação

Foto: barraca da Quermesse 2016

Paróquia Santa Teresinha

Praça Rui Barbosa, s/n - Santa Terezinha, Santo André/SP

Informações: Tel. (11) 4996-3506 | WhatsApp. (11) 99971-5580 | teresinha.sa@diocesesa.org.br | Redes sociais: @santateresinhasa